Artigos

A necessidade de cotas raciais em um Brasil desigual

Segunda, 20 de março de 2017
Frederico Bet

À época de vestibulares e início de ano letivo, questiona-se mais fortemente o ingresso de negros e índios por meio de cotas raciais em universidades públicas – as mais concorridas. Alguns afirmam que esses estariam usufruindo de artifícios inconstitucionais para terem facilidade de acesso. Já outros entendem as cotas como mecanismo para a diminuição das desigualdades. A questão é: o Brasil precisa de um sistema de cotas?

No momento atual do país, dono de um precário e fragilizado sistema educacional e de visíveis disparidades no acesso dos brasileiros à escolaridade, é necessário um processo de cotização para a entrada em universidades. Além disso, esse modelo é fundamental para se começar a reverter o triste e desumano passado histórico a que foram submetidos indígenas e negros e que fomenta dilemas sociais até hoje.

É vital, portanto, que se atente ao princípio de oferecer igual grau de escolaridade a todos os brasileiros, independentemente de sua etnia e cor. Sem as cotas, a possibilidade de conceder-se a todos uma mesma educação de qualidade, com a consequente diminuição da desigualdade, ficará restrita aos livros de História – livros que, ironicamente, chegarão com dificuldade às mãos de negros e índios se tais oportunidades não lhes forem ofertadas.

Quando o Brasil passar por uma grande reforma em seu sistema educacional, adotando melhorias no acesso à informação e fazendo com que todos tenham uma educação de qualidade em escolas públicas bem equipadas, poder-se-á começar a pensar em desativar o sistema de cotas raciais. Por enquanto, no atual cenário de disparidades no processo educativo, as cotas são vitais para que sejam fornecidas oportunidades iguais a todos. Com isso, diminuir-se-ão as antíteses sociais e se amenizarão os erros do passado.

 

Autor: Frederico Bet

Membro titular da Executiva Estadual da JPMDB/RS

Presidente da JPMDB de São Leopoldo/RS

Tesoureiro da Coordenadoria da JPMDB do Vale dos Sinos

Membro titular da Executiva Municipal do PMDB de São Leopoldo

Secretário de Formação Política do PMDB de São Leopoldo

 



Continue lendo...

A juventude no protagonismo das transformações

Segunda, 01 de janeiro de 2001
Roberto Fantinel*

A juventude protagonizou, ao longo das ultimas décadas, as lutas e o debate que promoveram mudanças estruturais e dos rumos políticos do nosso país.No entanto, observamos neste momento que os jovens estão se afastando dos partidos políticos. A construção de um novo modelo de diálogo e participação dos jovens está imposta aos partidos que desejam oxigenar suas posturas e quadros políticos. Neste contexto surge o projeto #JuventudeNaEstrada.

A construção do diálogo através de um modelo de participação e de tomada de decisão é o objetivo do projeto da JPMDB que percorre o estado do RS em 10 macrorregiões e que atingirá, até o final do ano, todos os cantos do estado do Rio Grande do Sul. Esta caminhada da Juventude do PMDB em parceria com a Fundação Ulysses Guimarães busca um posicionamento claro da nossa juventude nos mais diferentes temas, apontando os caminhos que as nossas bases desejam seguir. Essa construção vai apontar a direção do “ônibus”, como costumo exemplificar. As pessoas, conhecendo nosso destino, vão embarcar no nosso projeto para a construção de uma sociedade mais justa e democrática.

Queremos convidar toda a juventude e todo o PMDB para participar do nosso projeto, conhecer as nossas ideais para juntos apontarmos um rumo. Desta forma é que estamos debatendo e preparando nossos quadros com qualificação. Estamos obstinados a desenhar caminhos e promover as transformações necessárias, da mesma forma como o nosso estado, liderado pelo Governador Sartori, vem fazendo. Juntos vamos agregar novos guerreiros para lutar por um projeto de transformação da sociedade e construção de maior justiça social e hegemonia política.

A juventude é a força das mudanças que a sociedade tanto clama. Investir em formação de novos quadros políticos é garantir uma nova geração de cidadãos sérios, comprometidos com o estado brasileiro. Os jovens têm o poder da transformação e nós queremos ouvir o que eles têm a dizer.


* Presidente Estadual da Juventude do PMDB/RS



Continue lendo...